De todas as estátuas que encontrei apenas uma sabia dizer eu te amo

//em desenvolvimento\\

Um labirinto é uma construção organizada com muitas passagens e divisões, criando uma série de dificuldades para que se ache uma saída. Neste percurso, diversas opções são apresentadas e cada tomada de decisão anula as outras possibilidades à disposição. Esta estrutura pode tanto ser usada para impedir alguém de sair de sua prisão ou de alcançar seu prêmio no centro da construção.
De todas as estátuas que encontrei apenas uma sabia dizer eu te amo usa a ideia do labirinto como uma representação das angústias de seu protagonista, perdido entre as diversas possibilidades de caminhos apresentadas à sua frente. O ensaio não deseja definir o que está no centro desta rede ou o que motiva sua saída, mas relaciona esta caminhada a um período em que incertezas parecem ser a regra e no qual um sentimento de impotência domina a atmosfera visual apresentada. As imagens ao longo do ensaio constroem metáforas visuais para representar o estado de espírito e os desencontros de seu protagonista. Em um ambiente escuro, de escassa presença humana, as imagens se voltam para detalhes, figuras passageiras e esculturas, presas em sua impotência de transformação.

// under development\\

A labyrinth is built with a series of passageways and dead ends, creating a series of difficulties to whoever tries to find their way out. In this path, several options are presented and every decision made eliminates other possibilities that would be available. This can be used to keep someone inside their prison or to prevent a person of reaching the prize in the middle of the maze.
Of all the statues that I’ve found only one could say I love you uses the concept of a labyrinth as a representation of the protagonist’s angst, lost amongst the series of roads laying in front of him. These photographs do not wish to define what is or isn’t in the middle of this visual labyrinth or what motivates a drive to get out of it, however it does relate such atmosphere to a period of uncertainties and impotence that seem to be the rule in this space. The images in this essay deal with symbols and metaphors to build the state of mind and misadventures of its protagonist. In dark surroundings, with sparse human traces, the images turn their attention to details, fleeing figures and sculptures, trapped in the inability to change.

Date
2017-2018